Bispos desejam que Campanha da Fraternidade cure relações

15 de fevereiro de 2024, quinta  Bispos desejam que Campanha da Fraternidade cure relações

A Campanha da Fraternidade 2024 foi lançada nesta quarta-feira (14) na sede da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), com uma Missa celebrada para marcar o início desta importante iniciativa do colegiado episcopal.

A celebração ocorreu na Capela Nossa Senhora Aparecida e foi presidida pelo secretário-geral da CNBB e bispo auxiliar de Brasília (DF), Dom Ricardo Hoepers, contando com a participação de padres e assessores da instituição. Além de marcar o lançamento da campanha deste ano, também foi celebrado o aniversário de 60 anos da iniciativa.

Após a Missa, houve uma cerimônia de abertura no Auditório Dom Hélder Câmara. Junto com Dom Ricardo, estiveram presentes na apresentação da Campanha da Fraternidade 2024 o assessor do Setor de Campanhas da CNBB, padre Jean Paul Hansen; a representante do Instituto Promocional Madalena Caputo (Congregação São João Batista), irmã Eliane Viana de Oliveira; o cristão leigo Laudelino Augusto dos Santos Azevedo, que assessorou a Comissão Episcopal para o Laicato da CNBB; e uma mãe de um educando do projeto do Instituto Madalena Caputo, ao lado de seu filho.

Padre Jean Paul Hansen explicou que o tema deste ano, "Fraternidade e Amizade Social", foi escolhido há dois anos, inspirado na realidade de um Brasil dividido e polarizado, com um aumento da indiferença e do ódio. Ele destacou que os bispos desejam que esta Campanha da Fraternidade promova a cura das relações e incentive o estabelecimento de novos laços de fraternidade universal.

Dom Ricardo relembrou a criação da Campanha, durante o Concílio Vaticano II, e enfatizou seu papel na busca pela conversão pessoal, comunitária e social. Ele afirmou que a Campanha é um símbolo de solidariedade e projetos que transformaram vidas ao longo de 60 anos, sendo um instrumento de coragem evangélica para denunciar injustiças.

O bispo também ressaltou que a Campanha ocorre em um contexto de comunhão, participação e missão do Sínodo dos Bispos, e na preparação para o Jubileu 2025, convidando todos a serem "peregrinos da esperança". Ele conclamou a todos a reconhecerem-se como irmãos em Cristo e a viverem este tempo de graça e conversão.

Após uma breve apresentação do Texto-Base da campanha, Dom Ricardo incentivou todos a "alargar o espaço da tenda", começando pela cura das feridas da inimizade e discórdia, promovendo a reconciliação nas famílias, comunidades eclesiais e em toda a Igreja no Brasil. Ele enfatizou a importância de proclamar o amor, a reconciliação, a justiça e a paz na sociedade.

Representando o Instituto Promocional Madalena Caputo, irmã Eliane Viana expressou sua gratidão pela doação ao projeto "Alimentar é ato de amor e esperança", em Brasília, através do Fundo Nacional de Solidariedade (FNS), proveniente da Coleta Nacional da Solidariedade 2023. Ela destacou que o apoio não apenas forneceu alimentos, mas também renovou a esperança dos educandos, demonstrando o amor da Campanha da Fraternidade em um momento crucial para a instituição.

Fonte: Cançao Nova Not
https://noticias.cancaonova.com
Foto: Reprodução CNBB