Notícias

21 SET
[Santa Ludmila tem rosto reconstruído ]

Santa Ludmila tem rosto reconstruído

O responsável pela reconstrução facial é o designer 3D brasileiro Cícero Moraes. Ludmila é considerada a primeira mártir cristã da Boêmia, um símbolo do cristianismo em terras eslovacas e, ao mesmo tempo, uma expressão da unidade boêmia dentro do Império Austro-Húngaro, especialmente na segunda metade do século passado

 

Redação Fé Católica
[email protected] 

Santa Ludmila foi martirizada há 1.100 anos. O ponto alto das celebrações em memória da primeira Santa boêmia teve lugar em 18 de setembro de 2021 na cidade de Tetin, proximidades de Praga. Para a ocasião, o Papa Francisco nomeou como seu enviado especial o cardeal Christoph Schönborn O.P., arcebispo de Viena, Áustria.

Por sua grande importância na vida da fé, especialmente na Igreja da República Tcheca, houve o desejo de que o rosto da Santa fosse reconstruído e os fiéis pudessem assim conhecer os traços de Ludmila.

Para este desafio, foi convidado o designer brasileiro 3D Cícero Moraes, responsável por mais de 70 reconstruções faciais, incluindo 15 Santos e Beatos, como Santo Antônio de Pádua, Santa Rosa de Lima, São Valentim, Santa Paulina, São Teobaldo de Provins, Santa Catarina de Gênova. Cícero falou ao Vatican News sobre a iniciativa e o método empregado neste trabalho de reconstrução:

A reconstrução facial da Santa Ludmila foi um projeto idealizado pelo geofisico tcheco Jiří Šindelář, pelo Arcebispado de Praga, pelo Gabinete do Presidente da República e pelos Cavaleiros de São Lázaro de Jerusalém.

Recebi os dados do crânio a partir de uma tomografia realizada no relicário onde o mesmo se encontra e utilizando técnicas digitais pude extrair a região de interesse e o crânio não estava completo, contando apenas com a parte superior da estrutura. Para reconstruir a peça completa recebi os dados do antropólogo Emanuel Vlček que estudou os restos mortais da santa e de outras personalidades históricas da República Tcheca.

A partir daí o projeto seguiu normalmente onde apliquei a metodologia de praxe na reconstrução que consiste em colocar os músculos principais na face, alguns marcadores estatísticos dos limites da pele e projeções do nariz e dos lábios.

A revelação da face ocorreu no dia 16 de setembro de 2021 no Palácio do Arcebispo na cidade de Praga. Houve uma ampla cobertura por parte da imprensa e eu não imaginava que a santa fosse tão querida pelos tchecos a ponto do consulado daquele país aqui no Brasil, gentilmente me telefonar para dar os parabéns pelo trabalho. Fiquei muito feliz com tudo isso e espero continuar trabalhando nessa linha de projetos, em breve compartilhei mais novidades.

Santa Ludmila

Nascida em uma família nobre por volta de 859 em Lusatia, região localizada na Europa Central e que hoje corresponde a territórios da Polônia, Alemanha e República Tcheca, Ludmila casou-se ainda adolescente com o duque da Boêmia, Borisvoj.

Batizada junto com seu esposo por São Metódio - apóstolo dos eslavos do Séc. IX e proclamado padroeiro da Europa Oriental por São João Paulo II - ela logo se tornou uma figura de destaque na educação cristã e na difusão do cristianismo na região.

Tendo ficado viúva ainda cedo, dois de seus seis filhos, Spytihněv e Vratislav, prossseguiram com a atividade política consolidando o papel do país no mundo cristão, construindo igrejas que ainda hoje estão de pé em Budeč (a igreja românica de São Pedro e São Paulo) e em Praga (Basílica de São Jorge).

Exemplo luminoso de caridade cristã

Ludmila doou todos os seus bens aos pobres e após a morte de seu filho mais velho Vratislaus em 916, os nobres confiaram a regência do Ducado à sua esposa Drahomira e a educação de seu neto mais velho Venceslau à sua avó de fé cristã. Mas num ataque de ciúmes, a regente acusou Ludmila de pretender governar o Ducado, influenciando assim Venceslau a forçá-la a se retirar para o Castelo de Tetin. Lá, na noite de 15 de setembro de 920, foi estrangulada sob prováveis ordens da própria Drahomira.

A primeira mártir cristã na Boêmia

Venceslau, que tinha acabado de atingir a maioridade e ele mesmo era um duque, fez trasladar de Tetin para a Basílica do castelo ducal em Praga as relíquias de sua avó, veneradas e dispensadoras de milagres.

Ludmila é considerada a primeira mártir cristã na Boêmia, um símbolo do cristianismo em terra eslovaca e, ao mesmo tempo, uma expressão da unidade boêmia dentro do Império Austro-Húngaro.

Assista o vídeo da Reconstrução:

 

 

Com Vatican News
Foto: Reprodução / Vatican News