Fé Católica - Sempre Presente

Colunas

Organização Criminosa

14/04/2017 às 22:04.
Organização criminosa

Como muitos brasileiros (devem ser milhões) nestes dias, tenho minimamente acompanhado o noticiário acerca da chamada “delação do fim do mundo”, a da Odebrecht. O noticiário parece bastante revelador do sub-mundo da sociedade capitalista brasileira. Nada de novidade. Quem não já sabia à exaustão que os políticos brasileiros são produto do meio? Isto é, são forjados numa sociedade bandida que legitimamente elege seus representantes. Representantes e representados são farinha do mesmo saco.
Quem, por mais desinformado que seja, não percebe o quanto há de bandidos na estrutura sindical brasileira? Será que ainda não nos apercebemos que partidos políticos no Brasil é balcão de negócios escusos? Que necessidade há de termos mais de trinta agremiações partidárias sem nenhum viés ideológico?
Bem, tudo isso é sabido por todos, mas continuamos “democraticamente” tolerando essa escória...! Afinal, a democracia é o melhor regime político e a melhor forma de convivência social. Vana verba!
Mas, eis que de repente, quase como num passe de mágica, surge uma investigação num posto de gasolina no Paraná que resulta naquilo que a mídia apelidou de “operação lava jato”...oh glória! Agora o Brasil vai ser passado a limpo... Mas não o fora no “fora Collor” dos “caras pintadas”, no “fora Sarney”, nos “anões do orçamento”, na CPI do judiciário do juiz Lalau, no fora FHC da herança maldita? no mensalão, no fora Dilma do “bate panelas”? E por que ainda não se passou esse país a limpo? Será que está faltando água, creolina, e outros insumos dedetizadores ou a ratazana é maior que os inseticidas, formicidas, “roubocidas” (neologismo meu!) ou faltam homens de vergonha na cara?
Mas, pasmem, leitores, se tudo isso não bastasse, é estarrecedor constatarmos que a elite brasileira, a famosa classe empresarial, liderada pelas maiores construtoras, não passa de uma grande organização criminosa, de alto poder de periculosidade, capaz de comprar, corromper, subornar, aviltar qualquer um líder político sem nenhuma cerimônia e dar a isto no organograma das empresas o pomposo título de “departamento de propinas”!
Pior ainda, todos os principais partidos políticos estão reféns desse departamento, embora seus líderes não queiram ser chamados de ladrões. Penso mesmo que Fernandinho “beira mar” e assemelhados deveriam cobrar royalties dessa gente.
PS.
Avisos aos navegantes:
1. Não tenho vinculação com partidos e/ou ideologias quaisquer. Tenho cabeça e a uso conforme o livre arbítrio que o Criador me deu ao fazer-me racional.
2. Ladrão eu chamo pelo nome, embora a Odebrecht lhes dê codinome.
3. Sonho com o dia em que esse país, o Estado Brasileiro (poderes executivo, legislativo e judiciário) e a sociedade brasileira, mídias inclusas forem passados a limpo, com ou sem “lava jato”.